PRIMEIRA COLUNA. DE NOVO, PATROCÍNIO É CONSIDERADO CENTRO REGIONAL

Regionalização. Há diversas modalidades, tipos, em uso no Brasil. Umas já ultrapassadas, outras refletindo melhor a polarização de cada região. Ou seja, cidades exercendo o papel de polo urbano, oferecendo funções e serviços urbanos às demais cidades em sua volta. Desde 2017, o IBGE apresenta novo quadro regional determinado por fatores sociais, políticos e econômicos. Na verdade, são as denominadas Regiões Geográficas. Em Minas Gerais, são 13 Regiões Geográficas Intermediárias e 70 Regiões Geográficas Imediatas. Patrocínio é o principal centro urbano de uma delas.

 

DESTAQUE – A Região Geográfica Imediata nº 64 (dentre as 70) é nominada de Patrocínio. Nela constam cinco municípios: Serra do Salitre, Cruzeiro da Fortaleza, Guimarânia, Coromandel e Patrocínio. Esses municípios buscam a cidade de Patrocínio para solucionar as suas questões do cotidiano.

 

CRITÉRIO – Segundo o IBGE, necessidades imediatas da população da região levam sempre ao seu maior centro urbano. Tais como, compras de bens de consumo duráveis e não duráveis, por trabalho, procura por tratamento de saúde e pela rede escolar, disponibilidade de serviços públicos (INSS, Receita Federal, Ministério do Trabalho, serviços judiciários e outros), dentre diversas funções urbanas.

 

ESCALA MAIOR – Como a microrregião e a macrorregião de algum tempo atrás, a Região Geográfica Imediata está inserida numa Região Geográfica Intermediária. Em Minas, nas 13 Regiões Intermediárias estão 70 Regiões Imediatas. A Região Geográfica Imediata Patrocínio se encontra dentro da Região Geográfica Intermediária de Patos de Minas. Essa ainda tem a imediata Unaí e a imediata Patos de Minas.

 

E MAIS... – As demais Intermediárias da Região Triângulo-Noroeste são Uberaba e Uberlândia. Por exemplo, Monte Carmelo (sete municípios), Araxá (8 municípios) e Ituiutaba (sete municípios) são também Regiões Geográficas Imediatas. Tal como Patrocínio o é.

 

PARA RECORDAR – Até o final do século passado falava-se em microrregião e mesorregião do IBGE; Alto Paranaíba, Triângulo e outras regiões de planejamento da Fundação João Pinheiro; Triângulo do Norte, Triângulo do Sul do PDR (Plano Diretor de Regionalização) da Secretaria Estadual de Saúde, entre várias estruturas de regionalizações. Esse PDR já está superado, em termos de polarização urbana. Ou seja, ele é falho na identificação da cidade que atrai pessoas, necessitando de tratamento de saúde, de outras cidades. O próprio IBGE, há pouco tempo, também identificava a microrregião Patrocínio composta por 11 municípios, incluindo Monte Carmelo (regionalização a caminho de ser superada).

 

A MELHOR – As recentes Regiões Geográficas do IBGE retratam mais adequadamente a realidade socioeconômica e político-institucional de cada região brasileira. Entretanto, há algum ajuste a fazer, como a Região Imediata Patrocínio está mais para a Região Intermediária Uberlândia do que para a Intermediária Patos de Minas. Porém, quem confirmará isso, serão novos estudos. Como também a Região Imediata Monte Carmelo poderá ser redirecionada/redistribuída para Uberlândia e Patrocínio.

 

POR FIM – Assim, quando se abordar questões de regionalização é bom consultar as recentes Regiões Geográficas do IBGE. Por ela, o PDR da saúde, base territorial do SUS, precisa de revisão urgente. Salve amada terra!