PRIMEIRA COLUNA . A CIDADE DE ONTEM E A CIDADE DE HOJE

praca-fonte edit

Foto: Facebook

Praça Santa Luzia, Patrocínio-MG

Verdade. Da Patrocínio bucólica dos anos 50 e 60 para a Patrocínio dos atuais dias, aconteceram muitas mudanças. Algumas boas, outras não. Por um instante, deixando de lado a evolução econômica, política e cultural, pode-se dizer que a evolução social apresenta faces bastante distintas, nessa caminhada pelo tempo. 

 

SOCIOLOGIA – No passado, a sociedade foi constituída por segmentos imiscíveis. A classe rica se isolava praticamente. A média era sufocada. Embora interagisse com a classe pobre, ela tentava acessar o espaço ocupado pela rica. A estratificação era notória em diversos lugares da cidade, inclusive igrejas.

 

UM EXEMPLO – No vaivém (desfile de meninas-moças) da Praça Honorato Borges, depois vaivém da Praça Santa Luzia (anos 60), havia três pistas para o desfile. A melhor destinada às mocinhas de famílias abastadas, a intermediária às de classe média e a pior, aquela mais distante do centro propulsor do movimento, às de classe pobre, composta na sua maioria por moças de raça negra.

 

ATÉ NO CINEMA – Esse comportamento imperava também nos clubes sociais, escolas e locais de divertimento. É o caso do Cine Rosário com os seus dois ambientes, onde a galeria, tendo o ingresso mais barato, abrigava os menos favorecidos e o primeiro andar as classes média e rica.

 

GRANDE CAUSA DA MUDANÇA – O surgimento da exploração do cerrado e a chegada de pessoas e famílias de outras origens provocaram infiltrações nos grupos sociológicos (anos 70). Como consequência, eles abandonaram paulatinamente a postura hermética e conservadora, partindo, então, para a interação. Mesmo porque, o mundo estava – e está – em plena mutação. Afinal, o tradicionalismo é adverso na comunicação entre as classes sociais.

 

PRIMEIRO EFEITO – Hoje, a sociedade tem os seus grupos com ações próprias, todavia há intercâmbio e respeito mútuo. No dia a dia, não existem mais intocáveis ou donos do mundo. Nesse aspecto, Patrocínio tem progredido. Tem aprimorado bem.

 

SEGUNDO EFEITO – Outra face produzida pela evolução é a robusteza da marginalidade, com o aumento do índice de criminalidade. Embora possa ser atenuada, é difícil eliminá-la, pois faz parte do preço de cidade grande. Por esse prisma, Patrocínio tem perdido. Tem regredido, se comparado com as décadas anteriores.

 

UM EFEITO QUE LEVA À SAUDADE – Como também tem perdido no confronto de cidade cosmopolita de hoje e a cidade doméstica de ontem, onde todo mundo conhecia todo mundo. As janelas das casas sempre abertas, as portas das casas apenas encostadas ou semiabertas e o caminhar pelas ruas da cidade , seja durante o dia, seja durante a noite, com total segurança e liberdade. Naquele tempo também, a palavra valia mais do que recibos, cheques e outros papéis escritos. Na atualidade, nem tanto...

 

ACREDITE, SE QUISER! – Esta crônica foi escrita para a Academia Patrocinense de Letras há exatamente 24 anos. O autor é este escriba amador, ocupante da cadeira nº 12 da APL, com muita honra. Ela foi publicada com o título “Ontem Versus Hoje”. Em conteúdo, é valida também para esse ano de 2019. Pois, esta crônica explica, um pouco, a evolução social nos últimos 70 anos, na amada e inesquecível Santa Terrinha.

 


 

camara 868x113 maio2019