Instituições filantrópicas recebem doações provenientes de usinas construídas por cooperativas em todo o Estado.



Deputados destacaram papel social da Cemig e da Ocemg, beneficiando hospitais filantrópicos mineiros - Foto:Guilherme Bergamini

Da redação da Rede Hoje

Acordo entre a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), o Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais (Ocemg) e a Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos de Minas Gerais está permitindo que usinas de energia solar construídas por cooperativas doem parte da energia gerada para hospitais filantrópicos em todo o Estado. Veja a reportagem da Rádio Hoje.

Projeto que concilia cooperativismo, filantropia e a expansão da energia solar fotovoltaica em Minas Gerais foi apresentado em audiência pública da Comissão Extraordinária das Energias Renováveis e dos Recursos Hídricos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), realizada nesta quarta-feira (22/9/21) na Casa.

De acordo com o diretor da Cemig Distribuição, Marney Tadeu Antunes, o planejamento estratégico da companhia prevê a construção de mais 200 subestações transformadoras de energia nos próximos cinco anos, com o objetivo de atender ainda mais clientes rurais e usinas. Segundo ele, pode ser feita uma usina solar em qualquer lugar, o problema é a conexão.

PROJETO INCENTIVA DOAÇÃO DE ENERGIA SOLAR

Elas têm de ser conectadas com subestações e às vezes precisa construir a subestação para isso e o custo dela é que inviabiliza o fornecimento de energia. O investimento é alto. Mas fornecer a infraestrutura para possibilitar a ligação do interessado é função da Cemig”, explicou.

A companhia também tem atuado construindo usinas solares em hospitais filantrópicos no interior do Estado e trocando lâmpadas comuns por mais econômicas. “Isso reduz o consumo e ajuda na inadimplência dessas instituições, que muitas vezes sofrem para pagar suas contas de energia”, explicou.

O superintendente do Sistema Ocemg, Alexandre Gatti Lages, apresentou várias cooperativas regionais que estão construindo ou já construíram suas usinas solares e escolheram entidades filantrópicas da mesma região para doar parte da energia solar gerada. Ele destacou que a Santa Casa de BH será beneficiária de usina que a Central de Cooperativas está construindo em Sete Lagoas (Central).

A sede administrativa e centro de treinamento da Ocemg na Capital também estão com o projeto de construir uma usina nas cidades de Cristália e Botumirim, a 180 quilômetros de Montes Claros (Norte), e parte da energia gerada também será doada à Santa Casa de BH. Arrendamos áreas não produtivas de famílias carentes nessas cidades, onde ficarão as usinas, e também demos a elas a oportunidade de terem uma renda mensal, não precisando desmatar nada nos locais”, explicou.

Presidente da Ocemg, Ronaldo Ernesto Scucato destacou que a instituição é signatária do Pacto Global da ONU e dentre os 17 objetivos desse pacto está a produção de energia limpa e renovável, um dos principais objetivos desse projeto. “Nosso foco é econômico, ambiental e social. Agradecemos o apoio e a presteza da Cemig, que tem dado muita celeridade a esse nosso projeto”. Ele também afirmou que mais de 11% do Produto Interno Bruto do Estado advêm das 879 cooperativas em Minas.

Oportunidades e vantagens - O superintendente de Política Minerária, Energética e Logística da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Ladeira Moreira da Costa, ressaltou a importância do projeto e falou de oportunidades de crescimento para a geração fotovoltaica no Estado.

Temos um grande desafio de diversificar a cadeia da produção fotovoltaica em Minas para não dependermos tanto de peças estrangeiras. E precisamos pensar o armazenamento de energia. E investir numa maior difusão de informações e participação das administrações municipais”, completou.

O coordenador estadual em Minas Gerais da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), Bruno Catta Preta Pereira, destacou que a energia fotovoltaica apresenta uma série de vantagens. “É mais limpa, a instalação é rápida e contribui para diminuir o preço da energia hidroelétrica, além de reduzir a volatilidade dos preços. O potencial de crescimento no Brasil é exponencial e Minas se mantém no topo na geração distribuída solar do País. E assim queremos que se mantenha”, enfatizou.

O vice-presidente da Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos de Minas Gerais, Daniel Porto Soares, agradeceu à Cemig e à Ocemg pelo projeto e destacou que com a crise hídrica o custo com eletricidade nos hospitais filantrópicos aumentará bastante.

Com a onda vermelha, devemos ter cerca de 25% de impacto no custo e não teremos um correspondente aumento de receita. O trabalho da Cemig tem sido excelente em nos beneficiar, na Santa Casa de Patos de Minas houve troca das lâmpadas e o impacto foi muito positivo. Vejo muitas possibilidades de alavancarmos a energia limpa em Minas", disse.

SANTA CASA

Autor do requerimento para a realização da reunião, o deputado Antonio Carlos Arantes (PSDB) elogiou a iniciativa, que considerou “vitoriosa”. Segundo ele, a Santa Casa é uma das poucas instituições no País dedicadas a atender os mais pobres e necessitados. “Os recursos são limitados, mas as necessidades, infinitas”, afirmou.

Os deputados Virgílio Guimarães (PT) e Carlos Pimenta (PDT) também elogiaram a iniciativa, dando destaque para o fato de que, por causa do cenário climático no qual o planeta se encontra, investir em energia limpa é fundamental.

O presidente da comissão, deputado Gil Pereira (PSD), questionou o diretor da Cemig se não havia possibilidade de antecipar as 20 subestações previstas para o Norte de Minas. “Queria pedir priorização para a região, porque muitas plantas já estão prontas, mas não conectadas”, relatou.

O diretor disse que uma antecipação seria difícil devido à dificuldade no fornecimento de materiais e à falta de mão de obra treinada, situação esta agravada pela pandemia. “Estamos nos esforçando, mas respeitamos os critérios técnicos e priorizamos locais onde já existem condições de fazer as ligações”, ressaltou.